Brasil: Baixo crescimento do PIB no primeiro trimestre e um conjunto de indicadores antecedentes sugerem menor dinamismo na economia em 2018 do que esperado inicialmente

O PIB cresceu 0,4% no primeiro trimestre em relação ao último de 2017 e ficou ligeiramente acima do resultado observado (0,2%) no trimestre anterior. Na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, o PIB cresceu 1,2%, acumulando expansão de 1,3% em quatro trimestres, que é marginalmente superior ao resultado acumulado em 2017 (1,0%).
O crescimento foi impulsionado principalmente pela expansão de 1,4% no setor agropecuário, enquanto a indústria e serviços permaneceram praticamente estagnados. Sob a ótica da demanda, o consumo das famílias cresceu 0,5%, após alta de 0,1% registrada no trimestre anterior. Ainda na demanda doméstica, a formação bruta de capital fixo expandiu 0,6%, ante expansão anterior de 2,1%. No setor externo, houve expansão de 1,3% das exportações e de 2,5% das importações.
Embora o crescimento do PIB no primeiro trimestre de 2018 complete uma sequência de cinco altas consecutivas, há certo consenso em torno de uma recuperação mais lenta da atividade econômica. Primeiro, arrefecimento de fatores marcantes na economia de 2017: expectativas de reformas, expansão do consumo em razão do saque das contas inativas do FGTS e do aumento real dos salários (queda da inflação). Em segundo, a divulgação de indicadores mensais recentes corrobora esta perspectiva: retração dos índices de confiança, desaceleração no crescimento de empregos formais. No Relatório Focus do dia 04/06/18, o mercado revisou suas expectativas para este ano, projetando um crescimento menor do PIB, uma taxa de câmbio mais depreciada e uma inflação mais elevada.
Leia mais

Os comentários estão fechados.